Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um quarto para as nove

Para entreter uns minutos do dia

Um quarto para as nove

Para entreter uns minutos do dia

Três filmes que passaram por baixo do radar e não deviam

 

Gosto de filmes simples. Fico triste que passam debaixo do radar, que não sejam sucessos de bilheteira. Que as pessoas prefiram ver carros que se transformam em bonecos que falam com humanos, em vez de ver filmes cujo conteúdo nos diz tanto mais. Gosto de ver filmes que retratam a essência dos personagens, pequenas coisas da vida. Em que o guarda roupa não é essencial e a história se passa toda sem que seja preciso mudar de cenário mil vezes.

Afinal de contas na vida real é mesmo assim. O cenário é por regra sempre o mesmo, muda o conteúdo. Mudamos nós.

 

Fathers and Daughters

pais e filhas.png

 

Jack Davis é um escritor com sucesso. Casado com uma mulher que adora, pai de uma filha que ama. No fim de um encontro de escritores envolve-se numa discussão acessa com a mulher, perde o controlo do carro e a mulher morre. Para ele ficam o trauma da perda. O pesa da culpa. Uma filha de 5 anos para criar. Jack debate-se com os problemas mentais que resultaram do acidente e luta pelo amor da filha.

Passam 25 anos e Katie Davis recorda o amor profundo que sempre sentiu pelo pai. É-lhe difícil encontrar alguém para amar da mesma forma.

Um filme que se passa entre a pequena Katie com 5 anos e a Katie adulta. A sua necessidade de amar e de se deixar ser amada.

 

Maggie’s plan

maggie.png

 

Maggi perdeu a mãe quando ainda era adolescente. Foi viver com o pai que mal conhecia e mantiveram uma relação cordial até que este também faleceu. Sozinha encontrou o amor diversas vezes, concluindo apenas que tudo não passava de amizade.

Quer um filho e para isso decide abordar um antigo colega de universidade para que faça uma “doação” para que Meggie possa engravidar.

A par com esta peripécia Meggie conhece John, professor universitário na mesma universidade, casado com uma mulher que o domina e pai de dois filhos. John acredita que pode ser escritor e pede a Maggie ajuda para ler o seu rascunho.

A cumplicidade dos dois transforma-se em algo mais e Maggie apaixona-se.

John deixa a mulher e casa-se com Maggie. Juntos têm uma filha.

Passam-se 3 anos e Maggie percebe que John inverteu os papeis, ele passou a comportar-se como a ex-mulher e Maggie é a pessoa que ele domina. Para mais, continua muito ligado à ex-mulher.

Maggie percebe que sempre se amaram e que deviam continuar juntos. Engendra então um plano para que voltem um para o outro.

 

Love the Coopers

coopers.png

 

A família é a melhor coisa que temos, mas é também aquela que não escolhemos. É a família que nos ensina a aceitar os defeitos dos outros…ou a ser incapaz de lidar com eles.

Uma história sobre as pequenas coisas que nos fazem amar os que nos são mais queridos.

 

 

 

 

14 comentários

Comentar post