Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um quarto para as nove

Para entreter uns minutos do dia

Um quarto para as nove

Para entreter uns minutos do dia

Gosto mesmo assim, sem merdas

Tenho acompanhado o programa “Pesadelo na Cozinha” com o chefe Ljubomir Stanisic. Em resumo é o chef Ljubomir Stanisic na cozinha mais os badalhocos desorganizados que decidiram abrir um restaurante porque em Portugal quando não se sabe o que fazer e se quer ficar rico abre-se um restaurante, uma pastelaria, uma oficina ou um cabeleireiro. Na minha terra proliferam os salões de estética e beleza. Tantos que dá para ir todos os meses a um diferente e passar um ano sem voltar a entrar no primeiro.

Nos programas tenho muitas vezes pena das pessoas que lá trabalham, são sujeitas a toda uma variedade de filhas da putices dos patrões e têm de comer com a merda que há porque precisam do ordenado ao fim do mês.

Gosto da abordagem pedagógica do lLubomir para com os proprietários, mas especialmente para com os empregados que muitas vezes sustentam com o seu trabalho estes estabelecimentos.

 

Conhecia o chef Ljubomir Stanisic mas não sei bem de onde. Sei que já teve ou participou em programas de televisão mas eu não vi. Lembro-me de ter feito zapping.

 

- a minha sorte neste momento é que o homem é tão ocupado que eu tenho a certeza que não vai ler isto, de outra forma há-de pensar “quem é esta vaca que nem de dá ao trabalho de abrir uma puta de uma página e Google me antes de escrever esta merda, caralho!” –

 

Eu era fã do Kitchen Nightmares apresentado pelo Gordon Ramsay. Aliás, eu sou fã do Gordon “IT’S RAAAAAWWWW!”. Notam!?

De maneiras que quando soube que ia estrear este programa soube que queria ver. Pensei, muito honestamente, que iam fazer uma versão saloia do programa, cheia de polimentos, porque não se diz asneiras e não se diz na cara das pessoas o que precisam ouvir e todas essas panasquices (não me venham lixar a cabeça por causa do uso da palavra panasquices, é uma forma de falar e não uma ofensa subliminar à comunidade gay, que para mim cada um gosta do que gosta e aos outros cabe apenas respeitar) supérfluas que alimentam muitos dos nossos programas.

Depois vi o primeiro e fiquei viciada.

Em resumo, sem merdas!

Aquele jovem usa e abusa da palavra puta. Ele é a puta do restaurante, a puta da vida, a puta mesa, esta puta deste país.

Que maravilha! Finalmente alguém educado que manda umas caralhadas na televisão. Uma prova viva que educação e saber estar não tem que ver com os palavrões mas com a forma como se dizem e se fazem determinadas coisas.

Há gente para quem a palavra cagalhão causa tanto asco como se alguém lhes estivesse a meter o próprio do cagalhão na boca. Mas depois não sabem dizer obrigada, não sabem segurar uma porta, não ajudam uma velhota a atravessar a estrada e fazem pouco dos mais fracos (OK esta ultima não é falta de educação, é falta de carácter).

Depois disto já vi as entrevistas todas que há com o chef na internet. Gostei particularmente da entrevista no Maluco Beleza, aconselho a que assistam, está daqui olha (e agora é como se pegasse num pedaço da minha orelha e abanasse, tão a ver?!).

 

Assim, resta-me apenas juntar tostões para ir ao 100 Maneiras, arranjar reserva e organizar coragem para comer um puta de um bife de vaca pouco passado porque ele já disse que se recusa a servir merda aos clientes e eu sou daquela gente que gosta dos bifes mesmo, mas mesmo, bem passados.

 

Para quem ainda não viu o programa favor ver. É tudo, porque entretanto entrou gente na sala e eu perdi a linha de raciocínio e fiquei baralhada. Foda-se! A minha cabeça está cada vez pior!

 

 

6 comentários

Comentar post