Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Um quarto para as nove

Para entreter uns minutos do dia

Um quarto para as nove

Para entreter uns minutos do dia

Conto #7

Às vezes acordo a meio da noite. Sem motivo, sem razão.

Um barulho, um móvel que range, o gato que foi à caixa, o vizinho que parece sofrer de insónias e lá deixou cair alguma coisa ao chão. E eu, eu de sono leve, acordo. E quando acordo deixo os sonhos por acabar.

Viro-me para um lado e para outro.

Onde é que eu fiquei mesmo. Estávamos a falar de quê. E volto ao dia em que nos conhecemos.

- Porque raio quero eu vir para um ginásio no Restelo?

- Porque é muito mais chique que aquela porcaria onde andamos.

- Aquela porcaria onde andamos é o ginásio que me convenceste a inscrever porque era a melhor. Aquele de que desististe. Lembras-te?

- Lembro. Más decisões. Mas esta é boa.

- Imagino.

Sempre teve tiques de riqueza aquela rapariga. Uma força de viver e uma capacidade de gastar dinheiro como ninguém.

Entrámos para nos inscrevermos. Eu sempre a ser convencida.

- Boa tarde queremos inscrever-nos.

- Muito bem. Vão querer serviço de personal training?

- Sim.

- Eu não. (respondi, onde é que havia eu de arranjar dinheiro para pagar a um personal trainer, já me via bem aflita para pagar a mensalidade em muitos dos meses).

- Então é só para a menina...

- ...Lara.

- E para si é uma inscrição simples?

- Sim.

- Livre trânsito normal ou baixo valor?

- Acho que ainda consigo o normal.

Aos poucos aproximaste-te de nós.

- É o nosso personal trainer.

Diz o tipo da receção. E eu a roer-me por ser pobre. E eu a perceber que ser pobre não tinha nada a ver com isso. Não era só o dinheiro da Lara que eu não tinha. Era tudo o resto.

Deixei-os a conversar.

 

Ao principio íamos ao ginásio juntas. Ela precisava de companhia, mesmo quando tinha aulas privadas.

Depois começou a interessar-se por uma outra coisa qualquer e só já ia de vez em quando. E chegou o dia em que foi três semanas de férias para o Dubai.

 

- Olá, como estás?

- Bem, e tu?

Veio meter conversa comigo. Já conheço o exercício. Falar com a melhor amiga. Ficar a saber da donzela. Tornar-se amigo da amiga para ver se o caminho se torna mais fácil.

- Tens vindo treinar?

- Sim, venho cá quase todos os dias.

Tento pôr os phones a ver se percebe que mais vale ir andando. Saio da elíptica e vou fazer uns exercícios. Agachamentos. Um mal necessário.

Põe-me as mãos na cintura. Eu desconcentrada.

- Faz antes assim. Faz mais efeito.

- Obrigada.

E ali ficou a olhar para mim. A perceber como eu fazia os exercícios debaixo da minha t-shirt larga.

- Se tocares com o joelho no chão quando fazes o lunge faz mais efeito.

Parei o que estava a fazer e virei-me para ele.

- Sabes que a Lara não vem hoje?

- Não sei. Porquê?

- Porque ela não vem.

- OK...e então?!

- Escuta. Eu sei que estás a fazer o teu trabalho, e respeito isso, mas eu não tenho dinheiro para aulas privadas, ou treinos privados ou lá o que é. Eu e a Lara somos amigas mas temos vidas muito diferentes.

- Simmm...e então?! Só te estou a dar umas dicas.

- Ok. Só quero que não hajam mal entendidos.

- Não há mal entendido nenhum. E por falar em entendimentos. Sabes o que seria uma boa ideia?

- Não.

- Bebermos um café um dia destes.

OK. Percebi. Leva a amiga a beber café. Finge que quer saber muito da vida da pessoa e depois começa a disparar para saber mais e mais. O que ela gosta. Se tem alguém. Por aí.

- Não. Não seria.

- Porque...

- Porque eu sou boa pessoa mas não tenho perfil para cupido.

- Como assim?!

- Escuta, eu já percebi o que se passa. Tu estás, tal como a maioria dos homens que conheço, interessado na minha amiga. É normal. Estou habituada e não me incomoda nada. Acho bem que faças o teu papel e vás atrás dela. Mas deixa-me fora disso.

- A tua amiga de facto é uma brasa.

- Eu sei.

- Uma mulher muito interessante.

- Exatamente.

- Cheia de vida.

- Precisamente.

- Mas de facto não estou para aí virado.

Hummm?!

- Como assim?!

- Queria mesmo ir beber café contigo. Mesmo contigo.

E eu fui. E eu fiquei de todas as cores. E eu arranjei uma roupa melhor que as outras. E nós bebemos café. E jantámos. E fomos caminhar à praia. E beijamo-nos. E a vida era linda.

E ele continuou o trabalho dele.

E eu fui deixando de ir ao ginásio porque o meu aumentou.

E há dois meses fui fazer-lhe uma surpresa ao ginásio.

E ele não estava.

E eu vim cá fora para o encontrar a beijar uma aluna.

Era igual à Lara mais quatro anos mais nova.

Os quatro anos que passei com ele a pensar que era diferente dos outros.

Voltei para o apartamento que alugámos os dois.

Tirei tudo o que era meu.

Fiquei na casa da Lara.

Arrendei este T0. Estou eu e o gato.

E quando sonho, sonho com ele. Com o dia em que me fez sentir especial.

E quando acordo quero voltar para o meu sonho. Quero que acabe melhor que na vida real.